Método Dedutivo, o que é? Definição, principais características e exemplo

0
565
Método Dedutivo, o que é? Definição, principais características e exemplo

Nas ciências, dependendo do tipo de objetivo ou situação a ser investigada, diferentes métodos são utilizados a fim de obter uma conclusão.

Assim, os métodos científicos são constituídos por um conjunto de regras que são aplicadas por cientistas e pesquisadores, por exemplo.

Dentre os métodos, está o método dedutivo.

Logo, como o próprio nome sugere, o método utiliza a dedução e o raciocínio lógico para, após as etapas do processo, chegar a uma conclusão verídica.

Para isso, o método parte de premissas verdadeiras, ou seja, ideias verdadeiras estruturadas de maneira lógica e racional.

Com isso, o método dedutivo analisa hipóteses que já foram testadas anteriormente, denominadas de axiomas; para chegar a teorias, denominadas de teoremas.

Por conta disso, esse tipo de método é, também, chamado de hipotético-dedutivo.

Mas afinal, como o método dedutivo é aplicado? Vamos descobrir!

Método Dedutivo

O conceito de método dedutivo segue, literalmente, o significado do termo dedução.

Ou seja, o processo se baseia em analisar determinada situação e, em seguida, estruturar os fatos e argumentos a fim de concluir uma verdade.

Assim, o ponto de partida do método são hipóteses já comprovadas, chamadas de premissa maior.

A partir disso, são elaboradas novas hipóteses, a fim de comprovar a primeira.

As novas hipóteses, aliás, são chamadas de premissa menor.

Com isso, é estabelecida uma relação, entre as duas premissas, para se atingir uma conclusão.

Mas como assim?

Para entender, observe as seguintes afirmações: todo mamífero tem coração; por hora, todos os cães são mamíferos; logo, todos os cães têm coração.

Não entendeu? Vamos explicar.

No caso, a afirmação de que todos os mamíferos têm coração é a premissa maior, ou seja, a hipótese já existente (axioma).

A partir disso, afirma-se que todos os cães são mamíferos, ou seja, é a premissa menor, obtida por meio da dedução.

Logo, a conclusão é que todos os cães têm coração. Isso significa que o resultado final é o teorema.

Origem do método dedutivo

O método dedutivo já era uma técnica utilizada na Antiguidade, por exemplo.

Além disso, o aperfeiçoamento da prática dedutiva foi feita por Aristóteles, por meio da lógica aristotélica.

Ou seja, a razão, ou a lógica, seria a base para se chegar à conclusão de uma ideia ou conhecimento científico.

Para isso, a lógica aristotélica se baseia no conceito de silogismo.

Neste caso, seria a construção do pensamento lógico por meio de premissas (como citado no exemplo anterior) para se obter uma conclusão.

Dessa maneira, é possível observar esse método sendo utilizado nas ciências exatas, por exemplo.

Isso porque, disciplinas como matemática, física, etc, utilizam a teoria para realizar experiências que, na prática, não seriam possíveis.

Além disso, o método é aplicado, também, na filosofia, nas leis científicas e na educação.

Método Dedutivo x Método Indutivo

Para que uma pesquisa científica seja realizada, cientistas podem recorrer à diversos métodos.

Os métodos, como já explicamos, são a forma de utilizar etapas para analisar objetos ou situações e, a partir disso, concluir se a informação é verdadeira ou falsa.

Assim, o método dedutivo parte de uma análise do geral para chegar à conclusão específica. Neste caso, as premissas são verdadeiras e a lógica é utilizada para chegar ao resultado final.

Ou seja, o método não produz novos conhecimentos, pois a premissa maior já é algo analisado e comprovado.

Já, no método indutivo, a análise parte de um dado específico e conclui com um resultado geral. Ou seja, o método utiliza a indução para desenvolver as etapas do processo.

Por fim, parte da observação para chegar à etapa final, a conclusão. Diferente do método dedutivo, o indutivo pode criar novos conhecimentos.